Depressão Pós-parto. Quais os Sintomas e Como Lidar…

611 0
Depressão Pós-parto
()

tópico: Depressão Pós-parto

A depressão pós-parto é um distúrbio que pode afetar a mulher após o nascimento do bebê, causando sintomas como tristeza, choro excessivo, dificuldades de se relacionar com o recém-nascido, e sentimentos de culpa.

A gravidade do problema varia dependendo da natureza e intensidade dos sintomas. 

E, ao contrário do baby blues, a depressão pós-parto pode durar muito tempo, especialmente se não for tratada rapidamente.

Confira no post de hoje tudo sobre a depressão pós-parto, quais os sintomas e como realmente lidar. 

O que é depressão pós-parto?

É um estado em que a mãe, após o nascimento do bebê, tem uma série de transtornos. 

Uma atmosfera de confusão se instaura e a própria mulher desconhece o porquê ou como ocorre.

A depressão costuma se manifestar, em geral, da gestação até 3 semanas após o nascimento do bebê.

O quadro pode ainda progredir para uma situação pior: a psicose pós-parto, no qual há afastamento entre a mãe e o bebê

A psicose pós-parto, é um distúrbio muito mais raro, que causa graves desordens comportamentais na mãe, tais como alucinações, delírios, tendência ao suicídio e até mesmo infanticídio. 

É, portanto, certamente uma condição muito grave, que em alguns casos requer ajuda em internações hospitalares.

Depressão pós-parto: sintomas

Para reconhecer os sintomas desta depressão, é possível observar alguns sinais específicos, que devem não apenas estar presentes, mas também comprometer um nível aceitável de bem-estar psicofísico e a execução das atividades habituais.

Veja como reconhecer a depressão pós-parto em 10 sintomas:

  1. Tristeza e desespero profundos, que podem ser acompanhados por pensamentos recorrentes de morte
  2. Perda de energia e pensamentos de não poder cuidar do bebê
  3. Fortes flutuações de humor e choro desmotivado em vários momentos do dia
  4. Desejo de isolamento dos membros da família, incluindo da criança
  5. Alterações no apetite, resultando em perda / ganho de peso significativo
  6. Dificuldade em adormecer, sono agitado
  7. Ansiedade e irritabilidade
  8. Sentimento de culpa persistente e desmotivado, principalmente em relação à criança
  9. Diminuição da capacidade de concentração e eficiência intelectual
  10. Diminuição do desejo sexual (com dificuldade em retomar a relação sexual após o parto)

A estes, muitas vezes, somam-se a baixa autoestima e sentimentos de vergonha, também ligados a não se sentirem à altura do seu novo papel de mãe.

Baby blues e depressão pós-parto

Os sinais e sintomas iniciais da depressão pós-parto podem ser confundidos com o “baby blues”, também conhecido como “blues puerperal”, que, no entanto, geralmente se resolve sozinho e, em pouco tempo. 

A diferença substancial pode ser encontrada na duração dos sintomas.

Aqui estão os 7 principais sintomas do baby blues:

  1. Mudanças de humor
  2. Ansiedade e nervosismo;
  3. Tristeza injustificada;
  4. Irritabilidade;
  5. Choro repentino e desmotivado;
  6. Dificuldade de concentração
  7. Distúrbios do sono (insônia ou sono agitado).

Baby blues e depressão pós-parto: duração

Os sintomas do “baby blues” geralmente aparecem nos dias imediatamente após o nascimento e podem persistir por 1-2 semanas, melhorando gradualmente sem a necessidade de terapias específicas. 

Superior a 3 semanas pode indicar um transtorno ou alguma alteração emocional significativa como a depressão pós-parto.

Depressão pós-parto: causas

As causas do transtorno ainda não estão totalmente esclarecidas, mas existem fatores que contribuem para o seu aparecimento e dizem respeito ao perfil psicológico, hormonal e relacional.

Causas psicológicas

A depressão pós-parto, como qualquer outra forma de depressão, tem uma manifestação predominantemente psicológica. 

As mulheres que sofreram alguma forma de depressão ou outros distúrbios psicológicos no passado, ou que são ansiosas e irritáveis e tendem a se isolar, correm mais risco.

Traumas durante a gravidez, uma gravidez não planejada ou ser a primeira gravidez de uma mulher – são todos fatores de risco possíveis. 

Mulheres propensas a uma TPM intensa, podem estar em risco de depressão pós-parto. O abuso de álcool, fumo, café e substâncias nocivas também podem contribuir.

Alterações hormonais

Uma das causas mais reconhecidas pela medicina é a alteração hormonal. 

Pois, imediatamente após o parto, há uma queda acentuada de estrogênio e progesterona, os hormônios femininos que atingem níveis muito elevados durante a gravidez. 

Mas essa não parece ser a única causa hormonal: ao fim da gravidez há uma alteração da prolactina, principalmente durante a amamentação.

Fatores relacionais

Entre as causas relacionais são identificadas sobretudo na relação de casal. 

A chegada de um filho, principalmente o primeiro, é sempre um momento desafiador. 

O pai ou a mãe podem lutar para aceitar a paternidade ou a maternidade, especialmente nos casos em que a gravidez não foi algo planejado. 

Logo, o equilíbrio entre os pares é abalado, o que pode agravar ou causar sintomas de depressão pós-parto por parte da nova mãe.

Depressão pós-parto: como prevenir?

O período pós-parto é particularmente desafiador para as novas mães. 

Portanto aqui estão algumas dicas para lidar melhor com o puerpério e prevenir os fatores de risco para a depressão pós-parto:

  • Não se isole

Não é fácil admitir que você se sente mal, nem mesmo para si. Mas a depressão pós-parto não precisa te fazer sentir envergonhada ou culpada, é uma condição que afeta muitas mulheres e precisa ser tratada. 

Portanto, é essencial poder falar sobre isso com pessoas próximas e, acima de tudo, contar com a ajuda delas.

Conversar é essencial, especialmente com seu par. Ter um filho afeta ambos os pais e não deve ser uma responsabilidade que recaia totalmente sobre a mãe. 

O seu par deve estar pronto para dar apoio e tentar ouvir e compreender os problemas da nova mãe da melhor forma possível.

  • Cuide-se também

A mulher pode pensar que o filho quando nasce, a sua atenção e todo seu interesse devem ser voltados para ele. Mas não cuidar de si, faz com que tudo recaia sobre o bebê. 

Cuidar de si significa dormir ao máximo, tirar sonecas quando possível, quando o bebê dorme, mas também confiá-lo aos cuidados do pai ou de outra pessoa para conseguir descansar por algumas horas.

Também significa dedicar tempo ao seu próprio bem-estar, tanto quanto possível. Não é necessário sair ou ir ao spa: pequenos truques são suficientes para recuperar a confiança, a autoestima e se sentir bem consigo mesmo.

  • Cuide da sua alimentação

Seguir uma dieta correta pode fazer muito pelo seu bem-estar físico e psicológico. A dieta certa ajuda não apenas a se sentir melhor, mas também a proporcionar a melhor amamentação ao bebê. 

O físico das mulheres após a gravidez muda e deve ser aceito como é, e de fato apreciado ainda mais pelo que se tornou.

A nutrição adequada, portanto, não precisa necessariamente ser uma dieta para voltar a ser magra (por exemplo), mas sim em prol da saúde.

Dessa forma, é preferível evitar excessos em geral, de alimentos gordurosos e salgados, mas também de substâncias nocivas, que aumentam o estresse, tais como o álcool e o café.

Considerações finais

O nascimento de um bebê costuma vir acompanhado de muita alegria para a família. 

Mas, para algumas mães, como vimos, também pode trazer melancolia após o parto.

O diagnóstico da depressão é feito com base na observação clínica dos sintomas apresentados pela mulher e o tempo em que estão se manifestando. 

A depender do caso, o psiquiatra pode prescrever tratamento com terapia hormonal.

Deste modo, o acompanhamento sistemático do psicólogo e do psiquiatra é fundamental, assim como o apoio da família.

A depressão pós-parto não é uma condição que deve ser encarada superficialmente. 

É preciso lidar da maneira mais correta possível para evitar que se transforme em psicose pós-parto. 

Pesquisas mostram que é uma possibilidade rara, mas ainda é uma variável que deve ser levada em conta para evitar que a nova mãe experimente perturbações ainda maiores.

Então, gostou do post de hoje sobre o que é depressão pós-parto? Se você tiver alguma dúvida, sugestão ou quiser compartilhar sua experiência deixe nos comentários abaixo, afinal, a sua opinião é muito importante para nós.

E não se esqueça de compartilhar este texto em suas redes sociais. Até a próxima!

Quer Apimentar O Seu Relacionamento?

Acesse a nossa loja em Apimentou.com.br e passeie pelos departamentos e categorias. Nós possuímos uma infinidade de produtos de diferentes marcas, modelos, estilos, funções e tamanhos que farão você pirar com tanta novidade e possibilidade.

E o site ainda possui comparador de preços de produtos e frete de diversos lojistas de todo o Brasil, para você comprar mais barato e receber mais rápido.

E o mais legal, nós estamos online no site TODOS OS DIAS, das 11h à 0h!

Estamos sempre online para atender você e tirar todas as suas dúvidas, além de lhe ajudar a comprar o melhor produto, pelo menor preço.

Não é robô que fica respondendo um monte de besteira, tirando a nossa paciência… É o nosso time de experts em produtos sensuais e eróticos para lhe dar o melhor atendimento na Apimentou!

E tudo respeitando o sigilo nas informações passadas e em sua identificação.

Basta nos chamar no chat online do site! ; )

E, oh, aqui no Blog da Apimentou nós vamos tirar todas as suas dúvidas, sobre tudo relacionado à nossa vida sexual.

Se quer saber mais sobre um determinado tema, deixe um comentário abaixo e nós vamos providenciar para você.

E você pode enviar a alguém que você queira ajudar a tirar dúvidas sobre o tema.

Todos os dias tem matéria nova no ar!

No blog ou no Canal da Apimentou no YouTube.

O que você achou deste post?

Clique nas estrelas

Média da classificação / 5. Número de votos:

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Bia Braga

Consultora e Expert Apimentou. Heavy User de Produtos Sensuais. Instagram: @apimentou.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *